Informações sobre febre amarela

O fato de ter havido novos registros de casos de febre amarela no Estado de São Paulo nas últimas semanas não altera as regras de vacinação em Piracicaba

Por Marília Ariente 18/01/2018 - 12:58 hs
Foto: Google Imagens

O fato de ter havido novos registros de casos de febre amarela no Estado de São Paulo nas últimas semanas não altera as regras de vacinação em Piracicaba, porque a cidade continua fora das áreas endêmicas, que são aquelas onde há risco de se contrair a doença (confira no link http://www.piracicaba.sp.gov.br/upload/kceditor/files/arquivos/Lista%20municipios%20febre%20amarela(1).pdfos municípios brasileiros que estão em áreas endêmicas para a doença)

Tanto é que não há nenhum caso de febre amarela registrado na cidade, nem caso de macaco morto, que possa gerar suspeita e preocupação. Ainda não há casos confirmados da doença nas cidades que fazem fronteira com o município.

Portanto, as regras para se tomar a vacina são as seguintes:

- Pessoas que moram na zona rural de Piracicaba ou se deslocam com frequência para essa área;

- Quem vai viajar para as cidades que estão nas áreas endêmicas, ou ainda, quem vai fazer viagem internacional, para países que exigem a vacina.

- Vale observar que a vacina precisa ser tomada dez dias antes da viagem, tempo necessário para a imunização.

 

    Quem pode tomar a vacina?

    - Bebês, após os 9 meses e pessoas até os 60 anos podem ser vacinadas.

    - A pessoa a partir dos 60 anos que tenha boa saúde, não tenha sido vacinada, e, precise viajar para uma zona de perigo, poderá tomar a vacina. Entretanto, é preciso antes de qualquer decisão, procurar um médico, pois ele poderá esclarecer qualquer dúvida e avaliar o paciente.

    - As crianças que foram vacinas contra sarampo, rubéola, caxumba ou catapora, devem aguardar um período de 4 semanas para tomar a vacina contra a febre amarela, pois as doenças citadas acima são de vírus atenuados e vivos.


    Quem não pode tomar a vacina?

    - A vacina é proibida para bebês com menos de 6 meses, o único meio de protegê-los é através de mosqueteiros. Também recomenda-se o uso de telas e repelentes de tomadas, porém, é fundamental que essa tomada com o dispositivo esteja com a distância de no mínimo 2 metros do berço.

    - A vacina é contraindicada para dois tipos de mulheres: As gestantes e as que amamentam, todavia, sob liberação médica, pode surgir algumas exceções.

    - Existe também contraindicação para aqueles que possuem imunossupressão, causadas por doenças ou medicamentos, e também por alergia à gelatina, proteína do ovo e o antibiótico eritromicina.

     

    Fonte: Prefeitura do Município de Piracicaba