Nova zebrada reverencia time pioneiro da Lei do Acesso

“Pioneiro da Lei do Acesso”. O feito está no hino e na boca de todo torcedor do XV de Piracicaba, que lembra com orgulho da façanha obtida pelo clube em 1948.

Por Raphael 18/12/2017 - 23:25 hs
Foto: Raphael Guerreiro / ClickPiracicaba

“Pioneiro da Lei do Acesso”. O feito está no hino e na boca de todo torcedor do XV de Piracicaba, que lembra com orgulho da façanha obtida pelo clube em 1948. A partir de agora, a descrição pode ser vista também nas camisas de jogo do Nhô Quim, que foram lançadas, junto com os demais modelos produzidos pela Super Bolla, que serão utilizados na próxima temporada, em evento realizado no estádio Barão da Serra Negra na noite desta segunda-feira, 18, em frente à loja XV Mania.

Na manga direita, um selo comemorativo com a imagem da taça conquistada e do lado esquerdo a frase emblemática com duas estrelas que remetem aos 70 anos do título, que serão completados em breve. Outra novidade é o design com uma linha branca pontilhada nas faixas pretas horizontais da camisa zebrada, enquanto o modelo dois, predominantemente branco, conta com faixas cinzas, também na horizontal, com alguns detalhes estilizados.

Os familiares dos jogadores campeões, Gatão, Strauss, Idiarte e Cardeal, foram homenageados na ocasião do lançamento, que contou ainda com desfiles de atletas do elenco atual e dos sócios Nação XV, além do food truck O Matadouro e do chopp Cevada Pura.  “Todas as grandes ações que foram feitas nesses mais de 100 anos de história do XV, que foram primordiais para a construção dessa bela história, devem ser sempre reverenciados e essa foi nossa intenção ao elaborarmos esses novos modelos. Esperamos que o torcedor, que é o nosso principal patrimônio, goste”, disse o diretor de marketing, Danilo Maluf.

Sobre o título

Então atual campeão, o XV de Piracicaba entrou como um dos favoritos ao título da segunda divisão do Campeonato Paulista de 1948, que tinha um atrativo especial em relação à competição do ano anterior. Instituída pela FPF (Federação Paulista de Futebol), a Lei do Acesso começou a vigorar com a anuência dos dez clubes fundadores da entidade. Desta forma, o campeão daquele ano teria vaga na elite estadual em 1949.

42 equipes iniciaram a disputa distribuídas em três grupos com 14 times cada, denominadas Séries Preta, Branca e Vermelha. O XV foi o vencedor da Série Preta, com 40 pontos ganhos. A segunda fase, nomeada Torneio dos Campeões, reuniu os três primeiros de cada série, que jogaram entre si em turno e returno. Ao término desta etapa, os três clubes terminaram empatados com quatro pontos cada.

Diante disso, a FPF, já no ano de 1949, decidiu realizar um torneio em sua sede, a capital paulista, para que fosse definido o grande campeão do certame. Após sorteio realizado, o Linense se classificou automaticamente para a grande decisão, aguardando o vencedor de XV e Rio Pardo. O Alvinegro venceu o duelo por 2 a 1 e se credenciou para a final, que foi marcada para 13 de fevereiro daquele ano, no Palestra Itália.

Com dois gols de Gatão e Rabeca e um de De Maria, o Nhô Quim goleou o adversário por 5 a 1 e ganhou a alcunha de Pioneiro da Lei do Acesso. O time escalado por Eugênio Vanni tinha Ari; Elias e Idiarte; Cardoso, Strauss e Adolfinho; De Maria, Sato, Picolino, Gatão e Rabeca. O embate contou com grande público, que gerou uma renda de Cr$ 110.665,00, estabelecendo um recorde no Campeonato da Segunda Divisão

Fonte das informações: A História do XV, de Delphim F. Rocha Netto/Assessoria de Imprensa/XV de  Piracicaba